• Últimas notícias

    sexta-feira, 1 de setembro de 2017

    Rui e Temer na China dão o pontapé inicial da ponte Salvador-Itaparica



    Rui Costa assinou na China o memorando com a China Railway Engineering Corporation (Crec 4), fato que abre oficialmente os entendimentos para a construção da ponte Salvador-Itaparica e o Sistema Viário do Oeste (SVO).
    O memorando abre as portas para os chineses realizarem estudos de viabilidade complementares técnicos e ambientais. Eles têm 30 dias para apresentar um cronograma de trabalho.
    Em miúdos, os chineses vão poder meter o bedelho oficialmente. Com expertise em construção de longas pontes, nas conversas preliminares eles olharam o projeto e fizeram algumas considerações informais.
    Uma delas: o projeto da ponte já pronto prevê uma altura de 125 metros. Acharam alta demais. Com 100 metros de altura, ficaria de bom tamanho.
    Oficialmente Rui se encontra com Temer neste fim de semana em Xiamen, onde ocorre a reunião. Na pauta está também a Fiol e o Porto Sul, em Ilhéus.
    Diz João Leão, o pai da Fiol e homem que toca a ponte agora:
    — Na China, Rui e Temer estão falando a mesma língua, o mandarim.
    Engenharia financeira
    A ponte Salvador-Itaparica e o Sistema Viário do Oeste (SVO) vão custar R$ 7,671 bilhões, assim distribuídos:
    1 — A ponte em si tem um custo estimado de R$ 6,6 bilhões.
    2 — R$ 230 milhões são para a construção de 4,2 quilômetros de viadutos (passam por cima da área de São Joaquim) e mais dois túneis ligando a Via Expressa à cabeceira da ponte.
    3 — Outros R$ 169 milhões para a duplicação da Ponte do Funil, que liga a ilha de Itaparica ao continente.
    4 — R$ 183 milhões serão para a construção de uma via segregada no miolo da ilha para a passagem de veículos pesados.
    O resto é para a duplicação das estradas até Santo Antonio de Jesus em num lado e Valença no outro, além de um contorno em Nazaré. Pelo projeto, a empresa parceira entrará com 75%, a Caixa Econômica com 5% e os governos, baiano e federal, com 20%.
    Resta saber se a crise, com os seus imbricamentos políticos na Bahia, vai deixar.
    Os chineses interessados são os mesmos que acabaram de construir, na China, a ponte que liga Hong Kong, Zhuhai e Macau, com 50 quilômetros de extensão.

    Um comentário:

    1. Parque Eólico Tucano poderá gerar até 460 empregos diretos na região do Sisal durante 2 anos21 de jun de 2017 às 07:13 | em: Araci,Biritinga,Teofilândia,Tucano
      Foto: Ilustração
      O Parque Eólico Tucano será implantado no território das cidades de Tucano, Araci, Nova Soure, Biritinga, Sátiro Dias e Teofilândia (VER). A a proposta é instalar 220 turbinas eólicas de 3.0 MW cada. Cada torre eólica a ser implantada no Parque Eólico Tucano terá um custo médio de R$ 12.6 milhões. A implantação de 220 torres poderá custar R$ 924 milhões. São quase 1 bilhão reais. Segundo a multinacional responsável pelo projeto, a Sowitec, a proposta é gerar 460 empregos diretos durante a fase pico de implantação.
      Foto: Sowitec
      Durante as fases com menor número de funcionários. serão 77 pessoas diretamente contratadas pela obra. Indiretamente, calcula-se que 1400 pessoas serão beneficiadas financeiramente pelo projeto (direta e indiretamente). A respeito das contratações, a emprega informou ao site A Voz do Campo: Em relação ao desenvolvimento local, é valido ressaltar que haverá geração de emprego, o projeto propiciará uma oferta relativamente significativa de mão-de- obra especializada durante a fase de operação e manutenção do parque eólico, inserindo, após treinamento e capacitação, podendo gerar no máximo 460 vagas de emprego, entre: gerente de projetos, gerente de construção, profissionais de engenharia, topógrafos, mestre de obras, operário (pedreiros, serventes, etc.), serviços gerais (segurança, cozinheiro, etc.), o prazo de conclusão das obras será em média de 24 meses.
      Próxima matéria: Como está o projeto para o Parque Eólico Tucano? Quando as torres poderão ser implantadas? O artigo tratá informações que discorrem sobre prazos e status do projeto. O site entrou em contato com a empresa e especialistas do setor eólico do Brasil.
      Matéria já publicada: Parque Eólico Tucano promete trazer bilhões em investimento à região do sisal; entenda

      COMENTARParque Eólico Tucano promete trazer bilhões em investimento à região do sisal; entenda16 de jun de 2017 às 19:20 | em: Araci,Biritinga,Nova Soure,Teofilândia,Tucano
      Foto: Folder da Sowitec | Características do Parque Eólico Tucano
      Conforme publicação no Diário Oficial do Estado da Bahia, portaria Nº 5831 de 12 de setembro de 2013, o Parque Eólico Tucano terá uma capacidade de geração de energia de 660 MW. A empresa responsável pelo projeto é a multinacional SOWITEC. Eles estabeleceram presença na Alemanha, França, Brasil, Argentina, Uruguai, Chile, Peru, Colômbia, Casaquistão, Rússia e México. Nas cidades de Tucano, Araci, Nova Soure, Biritinga, Sátiro Dias e Teofilândia, a proposta é instalar 220 turbinas eólicas de 3.0 MW cada. Segundo o fabricante de torres eólicas Wobben, o valor médio em investimento para usinas é de R$4.2 milhões por MW instalado. Este valor inclui o aerogerador, infra-estrutura civil e elétrica, tudo isso dependendo das características de cada empreendimento.
      Foto: Ilustração
      Ou seja, cada torre eólica a ser implantada no Parque Eólico Tucano terá um custo médio de R$ 12.6 milhões. A implantação de 220 torres poderá custar R$ 924 milhões. São quase 1 bilhão reais. Tendo em vista o volume do investimento e que o desenvolvimento do projeto na região do sisal encontra-se em estágio avançado, o site A Voz do Campo entrou em contato com a SOWITEC e obteve informações detalhadas e importantes sobre este projeto. Portanto, de maneira sequenciada, neste mês de Junho de 2017 serão publicadas matérias sobre o tema.
      Próxima matéria: Quantos empregos o projeto pode gerar na região do sisal

      ResponderExcluir

    Polícia

    Bahia

    Serrinha