Últimas notícias

Polícia apura esquema de pirâmide financeira que pode ter lucrado R$ 200 milhões na Bahia


Um esquema de pirâmide financeira está sendo investigado pela Polícia Civil da Bahia há pelo menos oito meses. Segundo estimativa dos investigadores, cerca R$ 200 milhões teriam sido movimentados no esquema na cidade de Itabuna, no sul do estado. A polícia ainda segue tentando prender os envolvidos. O esquema consistia na promessa de ganhar dinheiro com apostas em jogos de futebol. Os envolvidos foram descobertos, segundo a polícia, porque costumavam ostentar dinheiro e bens.
Na manhã da última quinta-feira (3), foram cumpridos nove mandados de busca e apreensão na casa de suspeitos de envolvimento no esquema. Eles não tiveram as identidades divulgadas. A polícia informou que, a depender do resultado da investigação, poderá solicitar a prisão deles à Justiça nos próximos dias. Ainda de acordo com os investigadores, foram apreendidos um drone, um computador usado para armazenar informações bancárias das vítimas, além de um jet ski e uma moto de luxo.
"A gente percebeu que existia uma movimentação financeira de pessoas ostentando riquezas e dinheiro enquanto que a renda delas era incompatível com aquilo", afirmou o delegado Delmar Bitterncourt, um dos quatro investigadores que apuram o caso. "Eles queriam somente o dinheiro, que você entrasse comprando uma cota. Aí, abriam uma conta virtual no nome da vítima e eles pegavam o dinheiro e alocavam em outro local ", declarou o delegado Humberto Matos, da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos de Itabuna. "Nós acreditamos, por estimativa matemática, em uma lucratividade de 10%. Ou seja, o golpe gerou um lucro ilícito de R$ 200 milhões", concluiu Matos. O esquema começou a chamar a atenção da polícia após as vítimas terem prestado queixa depois de terem tentado sacar as premiações.