Últimas notícias

Déficit de 25 mil servidores no TJ-BA dificulta trabalho de juízes, aponta presidente da Amab

[Déficit de 25 mil servidores no TJ-BA dificulta trabalho de juízes, aponta presidente da Amab]

A presidente da Associação dos Magistrados da Bahia, Elbia Araújo, conta que o novo presidente do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), o desembargador Gesivaldo Britto, tem demonstrado atenção aos pleitos da magistratura baiana. Elbia participou, na manhã desta terça-feira (20), do evento de apresentação do planejamento de ações da diretoria da Corte. 
"O presidente tem se mostrado extremamente sensível às demandas da magistratura como um todo. No caso do primeiro grau, ele tem dedicado atenção especial. Hoje temos um déficit não só de juízes, mas também de servidores", aponta.
"Em entrância inicial, faltam mais de 100 magistrados. Ao todo, dados do CNJ de 2017 com base em 2016 mostram que falta 428 juízes na Bahia. Já no caso de servidores, estamos com déficit de 25 mil, conforme dados do CNJ", enumerou presidente da associação em conversa com o BNews
Segundo Elbia, a falta de funcionários prejudica diretamente o trabalho dos juízes. "O magistrado pode trabalhar de forma absurda, que é o que acontece, o magistrado trabalha muito, há uma carga de trabalho muito grande para cada magistrado. A média de entrada de processo por magistrado por ano é de 10 mil. Por mais que o magistrado trabalhe no gabinete fazendo audiências, estes processos chegam ao cartório e pela falta de servidores, efetivamente não vão ter o devido cumprimento. O processo precisa ter início, meio e fim", explicou.