Últimas notícias

Juíza do trabalho determina multa a advogado por induzir trabalhador a fraudar informação

[Juíza do trabalho determina multa a advogado por induzir trabalhador a fraudar informação]

A juíza do trabalho Mariella de Oliveira Garzieira determinou que um advogado pague multa de aproximadamente R$ 25 mil por ter induzido um trabalhador a fraudar informações em um processo trabalhista, no município de Conceição do Coité, a 225 quilômetros de Salvador. Além da multa, a juíza determinou ainda que a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) seja oficiada da decisão sobre a conduta do advogado Elido Ernesto Reyes Junior.
Na decisão, a juíza pede também que o Ministério Público Federal tome as adoções das medidas cabíveis “tendo em vista indícios de práticas de conduta tipificada criminalmente”. A decisão é do dia 23 de março deste ano.
Na audiência de instrução, o ex-funcionário da cantina Kuka, Diego Lima, falou à juíza que o que estava escrito na ação era invenção do advogado. Na peça, Reyes Junior pedia uma indenização de R$127 mil.
Em conversa com o, o advogado Elido Ernesto Reyes Junior afirmou que a juíza tomou a decisão sem tê-lo ouvido. “Quando eu fiquei sabendo da decisão no dia seguinte conversei com o meu cliente. Ele disse que havia sido ameaçado pelo dono do estabelecimento, o senhor Gileno. Fizemos uma declaração com essas informações e fomos até o tabelionato de notas reconhecer firma. Levei ao assessor da juíza e pedi pra que ela não sentenciasse sem ouvir as partes, sem a minha defesa, mas não adiantou”, explicou o advogado.
O empresário Gileno Vieira Soares negou as acusações. “Eu não ameacei ninguém. O que vale é a decisão da juíza”, disse em conversa com o BNews.