Últimas notícias

Caminhoneiros autônomos fazem paralisação nacional a partir desta segunda-feira



A Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam) convocou os caminhoneiros autônomos do País a participar de paralisação nacional a partir de 6h desta segunda-feira (21),contra os impostos sobre o óleo diesel. "A decisão foi tomada após esperar por uma resposta do governo federal, que até o momento não tomou qualquer iniciativa em relação aos pleitos feitos pela categoria", disse há pouco, em nota, a Abcam. 

Ao Broadcast Agro, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado, o presidente da Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam), José da Fonseca Lopes, disse que até as 18h aguardava um posicionamento do governo. A principal reivindicação, segundo Lopes, é a retirada dos encargos tributários sobre o óleo diesel. A Abcam protocolou na segunda-feira ofício na Presidência da República e na Casa Civil pedindo que o governo zere a carga tributária sobre operações com óleo diesel e também a isenção da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) sobre a receita da venda interna de óleo diesel a ser usado pelo transportador autônomo de cargas.

"A necessidade que temos é essa, e a nossa perspectiva é levar isso até o fim", disse Lopes, ressaltando que a paralisação não tem data para terminar. "Estamos taxativos e objetivos. Se não tirar tributos do diesel, não tem acerto, continuamos parados." Segundo ele, o diesel representa 42% do custo dos transportadores autônomos.

A associação também busca discutir a política de ajuste do preço do diesel da Petrobras, que, segundo o representante da Abcam, prejudica o planejamento dos caminhoneiros autônomos. O mais recente reajuste do combustível ocorreu hoje, com o valor médio nacional do litro do diesel A subindo para R$ 2,3488 (+0,80%).

A Abcam tem 600 sindicatos e 7 federações filiadas e representa de 600 mil a 700 mil caminhoneiros no Brasil. Lopes projeta adesão em torno de 60% a 70% da categoria no Brasil até o meio-dia de segunda-feira. Segundo o representante, nos primeiros dias a maior adesão deve ser no Sul e Centro-Oeste do País para depois se estender para Norte e Nordeste. Outras entidades também vão aderir à paralisação, segundo a Abcam: União Geral dos Transportadores Escolares (Ugtesp), Cooperativa de Turismo do Distrito Federal (Coopetur), Sindfrete, Unitrans Brasil, Sindicato de Escolares de Pernambuco e Sindicato de Taxistas de São Paulo e Nordeste.