Testemunha diz que viu sobrinho e tio serem entregues a homens armados após tortura em supermercado na BA - PORTAL FERRAZ E O POVO

Últimas notícias

Testemunha diz que viu sobrinho e tio serem entregues a homens armados após tortura em supermercado na BA

 


Um testemunha, que preferiu não revelar a identidade, contou em entrevista à TV Bahia, que ouviu Bruno 

Barros e Yan Barros, tio e sobrinho, serem torturados por um segurança, em uma área do supermercado Atakarejo, em Salvador, e depois viu eles serem entregues para homens armados. Horas depois, a dupla foi achada morta com sinais de tortura.

"Eu estava no momento que o 'prevenção' [segurança] e o gerente acusou [sic] os dois rapazes de ter furtado dentro da loja, essa situação toda dentro da loja, e foi muito triste, muito feio porque já que pegaram os dois, pegaram o que ele disse que roubou, era para ligar para a polícia, né", disse a testemunha.

"Eles fizeram ao contrário, pegaram, fizeram aquela coisa toda, tiraram os rapazes da loja, levaram para uma parte que é restrita deles [mercado], só de funcionários, e aí eu ouvi muitos gritos, eu ouvi muitos gritos, como se estivessem agredindo os dois rapazes. Muito, muito, muito mesmo".

Segundo a testemunha, ela viu que Yan e Bruno, depois de serem agredidos, foram entregues a várias pessoas armadas e os dois homens pediam para que não deixassem que o grupo levasse eles.

"Isso não se deve fazer com nenhum, com ninguém, com ser humano nenhum. Independentemente da índole do rapaz, dos dois rapazes, entendeu? E quando eu estava saindo, quando eu estava saindo, né, em seguida, eu vi muitas pessoas armadas, umas 10 a 20 pessoas armadas e vi o portão abrindo, e os dois rapazes pedindo por favor para não deixar levarem eles", revelou.

De acordo com a testemunha, mesmo com o pedido de desculpas, Yan Barros e Bruno Barros foram entregues ao grupo armado.

"Pedindo desculpas, e mesmo assim eles pegaram, abriram o portão e deixou o pessoal levar eles lá. O pessoal que estava armado, né, se é que vocês me entendem. Muito triste, muito triste", contou.

A família dos dois homens relata que um deles enviou áudios pedindo dinheiro para pagar carnes que eles teriam furtado de um supermercado.

No final da manhã desta sexta-feira, parentes e amigos deles fizeram uma manifestação em Fazenda Coutos, onde eles moravam. Logo depois, eles foram até a unidade do supermercado Atacadão Atakarejo, que fica no mesmo bairro.

O grupo também entrou no supermercado e com cartazes fizeram um protesto.