Alunos de curso de formação de soldados denunciam maus-tratos em treinamento da PM: “Pede para sair” - PORTAL FERRAZ E O POVO

Últimas notícias

Alunos de curso de formação de soldados denunciam maus-tratos em treinamento da PM: “Pede para sair”

 [Alunos de curso de formação de soldados denunciam maus-tratos em treinamento da PM: “Pede para sair”]



Alunos do curso de formação de soldados da Polícia Militar do Acre denunciaram estar sendo vítimas de maus-tratos durante os treinamentos para ingressar na corporação. Um dos reclamantes é Reginaldo Ribeiro da Silva, de 34 anos, que relatou ter desmaiado duas vezes com apenas três dias do curso, iniciado no dia 1º de setembro. De acordo com o jornal O Globo, além do mal estar em decorrência do esforço físico, o aluno diz ter sido humilhado e coagido a desistir do curso. A frase “pede pra sair”, famosa no filme Tropa de Elite, teria sido utilizada pelo instrutor de Silva para fazê-lo abandonar os treinamentos.O denunciante aponta que após muita pressão psicológica, e ainda “aéreo”, em razão do desmaio, decidiu assinar o documento de desligamento do curso, sem consciência do que estava fazendo. No dia 8 de setembro, quando foi publicada no Diário Oficial a portaria com a desistência de Silva, o aluno decidiu protocolar um requerimento com a justificativa de que, no momento da assinatura do documento, estava passando por um processo de "confusão mental".

Além de Silva, outros quatro alunos decidiram deixar para trás o sonho de se tornar soldado da corporação, entre eles uma mulher, que chegou a divulgar registros dos pés feridos após um treinamento, e um homem que divulgou fotos dos ferimentos graves nas suas mãos causados pelo excesso de exercícios. 

Em justificativa às acusações, a PM informou que as bolhas nos pés da aluna foram ocasionadas pelo atrito com o calçado. Já sobre as mãos do rapaz, a corporação afirmou que o exercício foi realizado de forma incorreta pelo aluno. Além disso, a PM ressaltou que uma ambulância com uma equipe médica estava à disposição dos aprendizes.

"Não é anormal que alguns alunos se sintam mal, que não consigam permanecer por muito tempo em pé, desmaiem, bem como se machuquem durante as atividades, considerando ainda as condições climáticas do Estado do Acre nesta época do ano", argumentou a corporação.

Além disso, a polícia relatou que a carreira militar é exercida sob forte estresse, o que faz com que os treinamentos sejam adaptados à realidade que os soldados devem enfrentar no futuro.