Rádio Web Ferraz

RÁDIO WEB FERRAZ

Últimas notícias

Prefeito de Serrinha se manifesta sobre greve dos servidores da educação: "não tem legalidade"

 Gestor pede que os profissionais retornem às salas de aula.


Passados onze dias desde o início da greve dos servidores da educação do município de Serrinha, o prefeito Adriano Lima se pronunciou através de vídeo divulgado nas redes sociais lamentando a manifestação


"A greve do meu ponto de vista não tem legalidade porque sempre honramos os salários em dias, inclusive concedemos o piso salarial esse ano e as perdas inflacionárias, e uma greve que vem com uma motivação focada sobre uns retroativos dos meses de janeiro a abril e que nesse próprio ano a gente fez um abono extra que foi chamado de rateio".


Segundo o prefeito Adriano Lima o acordo foi para se pagar o retroativo a partir de maio. "A gente hoje tem esse mal entendido porque na reunião eu tinha autorizado o pessoal a fazer o retroativo de maio em diante e se houvesse a possibilidade no final do ano, como sempre faço as contas e fiz do rateio no final do ano, poderia pagar esse valor e até uma coisa a mais que tivesse".


De acordo com o gestor municipal Serrinha e todos as cidades baianas terão reduções nos repasses do FUNDEB. "Agora está tendo a redução do ICMS, que é positivo para os combustíveis, mas vai diminuir a arrecadação do FUNDEB, porque 60% do que entra de receita do FUNDEB é do ICMS e isso vai começar a deduzir agora, então não tenho noção do que vai acontecer daqui por diante".


O prefeito aproveitou para pedir que as aulas sejam retomadas. "Os alunos da rede pública de Serrinha são o futuro da cidade de Serrinha então temos que tratar muito bem, então venho pedir apoio aos pais que cobrem porque seus filhos aqui na rede pública de Serrinha tem que ter acesso à educação, como também venho pedir aos professores que retornem às salas de aula porque não vejo nenhuma justificativa lógica neste processo".


A manifestação dos servidores da educação em Serrinha iniciou no dia 04 de julho. Os profissionais exigem o pagamento dos valores retroativos dos meses de janeiro a abril.



InfoSerrinha