Últimas notícias

Ouça a gravação da conversa de Prisco com Salomão


O deputado estadual e policial militar Soldado Prisco (PPS) criticou a divulgação de gravações feitas em 2012, durante a greve da Polícia Militar daquele ano. Em entrevista ao Jornal da Cidade 2ª Edição da Rádio Metrópole nesta segunda-feira (9), ele afirmou que o material foi editado pelo Partido dos Trabalhadores (PT) antes de ser encaminhado para a Rede Globo para exibição.
"Aquilo ali foi editado e encaminhado para a Rede Globo, e ela editou a gravação. No processo estava lá transcrição verdadeira da gravação, mas ele transcreveu a gravação verdadeira, porque ele teve acesso. Ganhei o processo contra a Rede Globo. As pessoas acham que fiz aquilo. Ele falou vou queimar as carretas, eu não falo. Ali pegaram duas gravações e juntaram. Está provado nos autos, está aprovado, esse processo foi arquivado, tramitado e julgado no Supremo Tribunal Federal", disse o deputado.
Na gravação, exibidas pelo Jornal Nacional, foram mostradas conversas de líderes dos movimentos grevistas da Bahia e do Rio de Janeiro. Prisco, que era presidente de uma associação que reunia bombeiros e policiais baianos, é acusado de combinar uma suposta ação de vandalismo com um de seus liderados, o que foi negado pelo parlamentar.