Últimas notícias

Tremor de terra assusta população da Bahia; vídeo mostra abalo

Um tremor de terra de baixa magnitude, sentido por três vezes na manhã deste domingo (4), deixou assustada a população de uma comunidade rural de Itororó, cidade do Sul do estado, a 540 km de Salvador.
O fenômeno ocorreu no povoado de Rio do Meio, onde moradores disseram ter ouvido um barulho abafado vindo de dentro da terra às 6h30, 10h30 e às 11h20.
Um vídeo gravado numa lan house de Rio do Meio e divulgado nas redes sociais nesta segunda-feira (5) registra o momento de um dos estrondos, que chega a chamar a atenção dos garotos que estão no local, mas de forma tímida.
O barulho é perceptível no vídeo apenas usando-se um fone de ouvido. Especialistas em sismologia disseram que o tremor deva ter sido sentido no máximo a 10 km de Rio do Meio.
No povoado não foram registrados danos materiais, como rachaduras em casas, apenas o medo natural devido ao ocorrido. O assunto, no entanto, dominou o domingo na pacata cidade de 21 mil habitantes.
“Aqui está todo mundo assustado com isso, nunca vimos algo do tipo por aqui”, disse o comerciante Leandro Santana, morador de Rio do Meio.
Devido à baixa magnitude do fenômeno, as estações de sismologia da Rede Sismográfica Brasileira (RSBr), cuja estação mais próxima fica a 450 km de Itororó, não registraram em quanto o tremor atingiu na escala Richter, usada para quantificar a magnitude de um sismo, que vai de um simples tremor de terra a um terremoto.
“Recebemos informações sobre o fenômeno, mas consideramos que ele tenha sido baixo”, disse o pesquisador do Observatório Sismográfico da Universidade de Brasília (UnB) George Sand.
O pesquisador informou que a estação mais próxima de Itororó fica na divisa da Bahia com o Espírito Santo, "então provavelmente esse tremor foi de menos de 2.5 na escala Richter". "Caso contrário, a estação teria registrado", continua.
“Mas é bem possível que ele tenha ocorrido porque não há registros de grandes obras na área ou outros testes de explosão que estavam previstos para este domingo”, completou o pesquisador.
A superintendência na Bahia da Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais, empresa federal também conhecida como Serviço Geológico do Brasil e ligada à RSBr, informou que “para definir possíveis causas dos abalos registrados na região de Itororó seria necessário deslocar uma equipe a campo”.
“O mais provável é que no caso de Itororó, esse fenômeno seja reflexo de reativação de falhas geológicas em pequena amplitude”, declarou o superintendente do órgão na Bahia José Ulisses Bandeira Pinheiro.   
“Existem muitos abalos que tem baixa magnitude, inferiores a três graus na escala Richter, que ocorrem diariamente em várias regiões do Brasil, muitos associados por exemplo a acomodação de terrenos, movimentos ao longo de antigas falhas geológicas, quedas de pequenos meteoros”, ele comentou.
Como fenômenos de baixa magnitude não são registrados oficialmente, não se pode afirmar que esse é o primeiro caso registrado na Bahia.
Precedentes
O Centro de Sismologia da Universidade de São Paulo (USP), que também integra a RSBr, informou que em 2017 na Bahia foram registrados tremores de terra em Nova Viçosa (1.9), Mansidão (2.0), Jeremoabo (2.7), Correntina (2.6) e Ubaíra (2.2).

Em 6 de novembro de 2015, o Centro de Sismologia da Usp registrou tremor de 3.2 em Iguaí, cidade do Sudoeste baiano, a 67 km de Itororó.
Pela escala Richter, criada em 1935 pelo sismólogo americano Charles Richter, tremores de até 3.5 raramente causam danos. A escala é infinita, mas vai de 0 a 10 porque nunca antes foi registrado terremoto acima de 10.
A escala mede a energia liberada pela terra durante um sismo. Tremores de até 6 graus provocam danos em edifícios bem estruturados, e o de 9 a destruição é total, informou o técnico em sismologia da USP, José Roberto Barbosa.