Últimas notícias

Em mensagem - Mulher morta pelo ex diz que tentou denunciá-lo


A cabeleireira Aretha Dantas, de 32 anos, morta no último dia 15, disse para a irmã que tentou denunciar o ex-namorado, mas não conseguiu por conta de uma greve da Polícia Civil. O ex-companheiro foi preso no dia seguinte, suspeito de ter cometido o assassinato. A afirmação da vítima foi dada por meio de uma mensagem para a irmã dela.
“Fui dar parte dele na delegacia da mulher, aí quando cheguei lá ‘tava’ de greve”, escreveu Aretha.
A Delegacia Geral disse que a greve não impediria o registro de boletins de ocorrência. A coorporação também disse que não há qualquer registro da tentativa de registro por parte da vítima.
Na semana passada, a vítima foi esfaqueada e atropelada no bairro Tabuleta, Zona Sul de Teresina. O ex-namorado, hoje preso, é o principal suspeito do crime. A família da vítima disse que ela já havia sido ameaçada por ele. O ex-companheiro estaria com ciúmes de Aretha, que planejava morar com o atual namorado.