Últimas notícias

Pastor é preso ao enviar mensagens pornográficas para criança

Resultado de imagem para abuso infantil
Um pastor de uma igreja evangélica de Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná, foi preso suspeito de assediar uma menina de 10 anos, segundo a Polícia Civil. A prisão em flagrante foi na terça-feira (24).
A delegada Cláudia Kruger, que investiga o caso, disse que ele deve responder pelos crimes de assédio e aliciamento infantil.

Contato por celular

De acordo com a delegada, a criança foi à igreja duas vezes, acompanhada pelo avô. Nos cultos, a família conheceu o pastor. A partir da convivência na igreja, conforme a delegada, dias depois, o pastor começou a ter contato via celular com a vítima.
Segundo a polícia, o suspeito enviou mensagens para a criança perguntando sobre quais roupas a menina usaria nos cultos, fazendo elogios, além de enviar e pedir fotos. A delegada diz que o pastor mandou fotos dele mesmo, sem roupas, para a vítima.

Prisão

Conforme a delegada, as mensagens foram flagradas por familiares da menina. A prisão ocorreu pouco tempo depois de o suspeito enviar as últimas mensagens à criança.
No domingo (22), de acordo com a delegada, a mãe da criança procurou a Polícia Militar (PM) para registrar um Boletim de Ocorrência (B.O.) sobre o caso. Nos dias seguintes, o suspeito continuou enviando mensagens para a menina.
Com acompanhamento da PM, a mãe da vítima marcou um encontro com o suspeito, quando ocorreu a prisão em flagrante.
A polícia informou que a menina deve passar por acompanhamento psicológico.
De acordo com a polícia, o artigo 241 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) prevê pena de um a três anos de prisão, além de multa, para quem é condenado por “aliciar, assediar, instigar ou constranger, por qualquer meio de comunicação, criança, com o fim de com ela praticar ato libidinoso” (Informe Baiano)