Últimas notícias

Mulheres são presas em flagrante roubando cabelo para megahair

Gerente viu tudo acontecer quando estava em casa, através de câmeras de segurança
A gerente de um salão de beleza de São Marcos estava se preparando para ir trabalhar, por volta das 9h30 de terça-feira (31), quando levou um susto. Todos os dias, enquanto está se arrumando para sair, ela acompanha o movimento no estabelecimento atráves das câmeras de segurança e viu quando duas mulheres anunciaram o assalto e limpararam as pratileiras do salão, que fica na Rua Direta de São Marcos. 
A gerente pediu para não ser identificada, mas contou que no momento em que as assaltantes entraram no estabelecimento havia apenas uma funcionária e uma cliente. Elas estavam com uma bolsa e um saco de linhagem e finjiram estar interessadas em procedimentos estéticos antes de anunciar o assalto. Elas roubaram cerca de R$ 30 mil em produtos e mais R$ 651, dinheiro que estava no caixa. 
"Assim que elas entraram no salão a cliente saiu. Elas fizeram algumas perguntas para a funcionária sobre cabelos antes de anunciarem o assalto. Estavam armadas com um revolver e foram bastante agressivas, xingaram e puxaram o cabelo da funcionária. Eu vi tudo acontecer pelo sistema de segurança e chamei a polícia", contou.
Policiais da 47ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/ Pau da Lima) atenderam ao chamado e cercaram o salão antes das criminosas fugirem. Depois de alguns minutos de negociação, elas liberaram a funcionária e se entregaram. As duas foram identificada como Thainá Souza Santos, 19 anos, e Juliana Luna Almeida Ferreira Lopes, 20, e levadas para a 10ª Delegacia (Pau da Lima).
Saco com cabelos roubados (Foto: Reprodução)
Assalto
Depois de ver a arma, a funcionária se afastou do balcão. Enquanto isso uma das assaltantes assumiu o local da trabalhadora e começou a retirar os cabelos usados na confecção de Mega Hair que estavam espostos na parede atrás do balcão. Os produtos foram jogados, rapidamente, dentro da sacola de linho. 
Em seguida, a outra assaltante obrigou a funcionária a ir para o fundo do salão, onde a criminosa roubou produtos de cabelo e a quantia de R$ 651. Ainda segundo a gerente, as duas bandidas ameçaram a funcionária dizendo que havia homens esperando por elas em um carro próximo ao salão e que se a vítima gritasse elas chamariam os comparsas. 
Em nota, a Polícia Militar informou que os policiais cercaram o salão e prenderam as mulheres em flagrante. "Ao notar a chegada dos policiais, as suspeitas fizeram uma funcionária do salão refém, os militares negociaram e as duas suspeitas se entregaram. Com uma das acusadas foi encontrado um revólver calibre 38".
A gerente do salão suspeita que as mulheres façam parte da mesma quadrilha porque elas também teriam roubado outra unidade da rede, em Itapuã, na semana passada. Essa foi a terceira vez que o estabelecimento de São Marcos foi assaltado, em menos de 30 dias. A trabalhadora contou que enquanto registrava queixa na delegacia, na tarde de terça-feira, outras vítimas entraram em contato com os policiais para contar que também foram assaltadas pela mesma quadrilha. 
Investigação
Durante a tarde, investigadores da 10ª Delegacia prenderam Anderson Santos do Nascimento, 31 anos, em um shopping de Salvador vendendo cabelos. Ele contou para os investigadores que levou Thainá e Juliana até o salão de Itapuã, mas que não sabia que elas cometeriam o assalto.
Segundo o titular da 10ª Delegacia, Antônio Fernando do Carmo, ele contou que depois de deixar as duas no salão elas pediram que ele esperasse e que voltaram alguns minutos depois com uma sacola com vários cabelos. 
“Ele disse que trabalha como motorista por aplicativo e que levou as duas até a Fazenda Grande, onde elas teriam decido. Contou que a corrida deu R$ 78, mas que elas deram R$ 400 e mais 15 peças de cabelo como pagamento. Perguntei se ele não desconfiou que tinha alguma coisa errada e ele disse que não”, contou o delegado.
A polícia não acredita na versão de Anderson. Para o delegado, ele agiu junto com as duas mulheres e deu fuga para elas depois do roubo. O suspeito tentou vender o material pela Internet, mas foi flagrado pela dona de um dos salões assaltados, que reconheceu o próprio material e o denunciou. Ele foi preso num shopping na região do Cabula quando tentava entregar as peças a um comprador. Quando viu os policiais, ele tentou correr, mas foi detido.
Anderson foi preso em maio do ano passado com dinheiro falso, no Rio Vermelho. Na época ele foi autuado crime de circulação de cédula falsa, pelo mesmo delegado que o prendeu ontem. Desta vez, ele vai responder por receptação de produto roubado.
Thainá e Juliana serão atuadas por roubo. Os três presos foram encaminhados para a 1ª Delegacia (Barris) e devem permanecer na unidade até está quinta (2), quando vão passar pela audiência de custódia. As duas mulheres não tinham passagem pela polícia, mas o delegado acredita que esse não foi o primeiro crime delas e que a quadrilha tem outros membros.
“Depois que elas foram presas e tiveram as imagens divulgadas na imprensa, outras vítimas entraram em contato com a delegacia. Por enquanto, estamos investigando a participação delas em outros assaltos em São Marcos e em Itapuã, incluindo ataques a outros estabelecimentos, como farmácia, por exemplo”, contou.
Durante o depoimento, as mulheres adimitiram os crimes, mas estavam sorrindo, até o momento em que outras vítimas começaram a fazer contato com a delegacia. O delegado não descarta a possibilidade de acrescentar outros crimes nos autos e disse que a investigação sobre as duas mulheres ainda está em andamento. (Correio)