Últimas notícias

Combate ao feminicídio é 'prioridade absoluta', diz secretário de Segurança Pública

[Combate ao feminicídio é 'prioridade absoluta', diz secretário de Segurança Pública]
Foto : Matheus Simoni / Metropress
Por Juliana Rodrigues no dia 27 de Dezembro de 2018 ⋅ 09:21
Na contramão da tendência de redução dos índices de criminalidade, apresentada no balanço de 2018 da Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), as ocorrências de feminicídios, que são os assassinatos de mulheres motivados por questões de gênero, aumentaram no Estado. De 66 casos registrados em 2017, o índice subiu para 70 em 2018, o que representa um aumento de 6,1%.
Em entrevista a Mário Kertész, na Rádio Metrópole, o titular da pasta, Maurício Barbosa, afirmou que melhorar a atuação na prevenção desses casos é uma "prioridade absoluta" e citou a Ronda Maria da Penha como uma das medidas aplicadas para combater a violência contra a mulher.
"Para nós, isso também é uma questão de prioridade absoluta. Em especial, a melhora na atuação da segurança com relação à prevenção, porque depois que a coisa acontece não adianta aplicar uma rápida atuação da polícia, porque o estrago já foi feito. Então, nós estamos criando ao longo desses últimos anos as unidades da Ronda Maria da Penha, que têm uma atuação eficaz no controle das medidas protetivas dadas às mulheres vítimas de violência", afirmou, destacando que o acompanhamento das vítimas tem auxiliado na redução dos casos.
Na opinião de Barbosa, o aumento nos casos de violência contra a mulher faz parte de um contexto de "complexidade das relações humanas". "Isso acontece mais nos casos relacionados à violência doméstica, mas toda hora a gente recebe, pelas redes sociais, vídeos de idosos, de crianças, de animais sendo vítimas de violência, também. Ou seja, a sociedade hoje passa por um processo muito sério, às vezes até na tentativa de resolver seus problemas na base da violência", analisou. Para o secretário de Segurança Pública, o acompanhamento psicológico e psiquiátrico dos potenciais agressores é importante para a prevenção de "uma tragédia maior".
Balanço – De acordo com o balanço de 2018 da SSP-BA, obtido pelo Metro1, a Bahia teve o menor índice de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs) – homicídios, latrocínios e lesões dolosas seguidas de morte – desde 2012. Foram 5.506 casos, número 11,5% menor do que o registrado em 2017, quando aconteceram 6.221 crimes do tipo.
Os registros de roubo a banco tiveram a redução mais acentuada, de 106 no ano passado para 65 neste ano (-38,7%). Também houve queda de 23,6% nos índices de roubo a ônibus na capital, de 2.601 em 2017 para 1.988 em 2018.