Últimas notícias

Vídeo: suposto entregador da Uber Eats pratica assaltos em Salvador; segurança do aplicativo é questionada

[Vídeo: suposto entregador da Uber Eats pratica assaltos no Rio Vermelho; segurança do aplicativo é questionada]
Um homem, suposto entregador do aplicativo de delivery Uber Eats, levou os pertences de uma vítima que passava pelo bairro do Rio Vermelho, na última segunda-feira (13). As câmeras vídeomonitoramento registraram o ocorrido.  
Na ocasião, o assaltante estava em um moto e com a mochila do aplicativo, quando um homem passou pela Rua Macaúbas, no Rio Vermelho, e realizou a abordagem, onde estaria supostamente armado. De acordo com as imagens, a vítima entregou celular e documentos. 
A segurança do aplicativo foi questionada pela reportagem.
Procurada, a assessoria de comunicação da Uber informou que não tem como identificar se o motociclista faz parte do cadastro de entregas do Uber Eats. No entanto, ressalta que o uso das mochilas não pode servir como um ‘’indicativo confiável’’ de cadastramento do app. ‘’O que assegura que alguém é motociclista que atua como entregador parceiro são as informações disponíveis dentro do próprio app ao fazer o pedido, como placa da moto e nome do entregador’’. 
Além disso, a Uber afirmou que todos os entregadores parceiros passam por uma checagem de antecedentes criminais, para garantir a segurança. ‘’Como parte do processo de cadastramento para utilizar o aplicativo do Uber Eats, todos os entregadores parceiros passam por uma checagem de antecedentes criminais realizada por empresa especializada que, a partir dos documentos fornecidos pelo próprio motorista e com consentimento deste, consulta informações de diversos bancos de dados oficiais e públicos de todo o País em busca de apontamentos criminais, na forma da lei’’. 
Venda ilegal pela internet
A empresa de delivery também ressaltou que as mochilas em questão são vendidas apenas nos centros de atendimento da Uber, ou distribuídas posteriormente para entregadores que possuem avaliações positivas. Contudo, o BNews realizou uma pesquisa e identificou sites de vendas online praticando o comércio irregular das mochilas. 
 
Assista ao vídeo: