Últimas notícias

Intercept: Áudio inédito expõe posição de Deltan e procuradores contra entrevista de Lula; ouça

[Intercept: Áudio inédito expõe posição de Deltan e procuradores contra entrevista de Lula]
O site The Intercept Brasil divulgou um áudio inédito do procurador Deltan Dallagnol, chefe da operação Lava Jato. A conversa entre os membros da força-tarefa gira a respeito da guerra jurídica em torno da entrevista do ex-presidente Lula ao jornal Folha de S. Paulo.
Na manhã do dia 28 de setembro de 2018, a imprensa noticiou que o ministro do STF, Ricardo Lewandowski, autorizara Lula a conceder uma entrevista ao jornal Folha de S.Paulo. Segundo o Intercept, em um grupo no Telegram, os procuradores imediatamente se movimentaram, debatendo estratégias para evitar que Lula pudesse falar. 
Para a procuradora Laura Tessler, o direito do ex-presidente era uma “piada” e “revoltante”, o que ela classificou nos chats como “um verdadeiro circo”. Uma outra procuradora, Isabel Groba, respondeu: “Mafiosos!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!”.
Eram 10h11 da manhã, segundo a reportagem. A angústia do grupo – que, mostram claramente os diálogos, agia politicamente, muito distante da imagem pública de isenção e técnica que sempre tentaram passar – só foi dissolvida mais de doze horas depois, quando Dallagnol enviou as seguintes mensagens, seguidas de um áudio.
Deltan Dallagnol – 23:32:22 – URGENTE
Dallagnol – 23:32:28 – E SEGREDO
Dallagnol – 23:32:34 – Sobre a entrevista
Dallagnol – 23:32:39 – Quem quer saber ouve o áudio
Dallagnol – 23:33:36 –

O Intercept informa ainda que enviou para a Lava Jato o conteúdo do áudio. A força-tarefa respondeu: “O site se recusou a enviar o material usado na reportagem para avaliação da força-tarefa, prejudicando o direito de resposta e de análise do material. As mensagens que têm circulado como se fossem de integrantes da força-tarefa são oriundas de crime cibernético e não puderam ter seu contexto e veracidade verificados. Diversas dessas supostas mensagens têm sido usadas, de modo fraudado ou descontextualizado, para embasar falsas acusações que contrastam com a realidade dos fatos.”