Últimas notícias

Apontado pela polícia como homicida morre em confronto com policiais em Alagoinhas

[ Apontado pela polícia como homicida morre em confronto com policiais em Alagoinhas]
Wedson Jonhson Schimanki Alves, 19 anos, apontado pela polícia como autor de assassinatos na Região Metropolitana de Salvador (RMS) foi surpreendido, na manhã deste sábado (17), por equipes da Companhia Independente de Policiamento Especializado (Cipe) Litoral Norte (LN), em Alagoinhas.
Wedson já era alvo da Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA) e postava fotos armado nas redes sociais e recentemente ironizou, em uma postagem no Instagram, a notícia de um ano sem homicídios na cidade de Madre de Deus. Segundo a SSP, em uma postagem da Prefeitura sobre o período sem mortes, Jonhson colocou o comentário: "1 ano é msm?".
Apontado como traficante e homicida, Wedson estava escondido na cidade de Alagoinhas juntamente com o comparsa Luan Tiago Santos Damasceno. Após denúncia anônima e ações de inteligência da 17ª Delegacia Territorial (DT/Madre de Deus), guarnições da Cipe LN encontraram a dupla na Rua 21 de Setembro.
Ainda conforme informações da Secretaria de Segurança Pública, percebendo a aproximação dos policiais, os criminosos atiraram e terminaram atingidos durante confronto. Os dois chegaram a ser socorridos, mas não resistiram.
A polícia apreendeu com os criminosos dois revólveres calibre 38, munições, dois tabletes de maconha, 58 trouxas da mesma erva, uma balança, R$15 em espécie e um documento falso com nome de Lucas que era usado por Johnson. O caso foi registrado no Distrito Integrado de Segurança Pública (Disep) de Alagoinhas.
Acusado de participar de pelo menos 30 homicídios, na RMS, Jonhson cometeu seu primeiro assassinato com 13 anos de idade, segundo a SSP. Ele chegou a ficar em um centro de recuperação para adolescentes e quando saiu assumiu a liderança em uma facção. Luan, por sua vez, tinha passagem por latrocínio (roubo seguido de morte) também quando era menor.
A 17ª DT/Madre de Deus e o Comando de Operações da PM atuavam em conjunto para prender Johnson.