Últimas notícias

Vídeo: Prefeitura de Serrinha inicia projeto inovador que usa tecnologia de ponta contra o mosquito da dengue. Confira!



A Prefeitura de Serrinha, através da Secretaria de Educação, em parceria com a Secretaria de Saúde, está realizando uma ação inovadora no combate ao Aedes Aegypti: O Projeto Agentes Mirins Mosquito Zero. Com mais de 400.000 casos registrados no país, a dengue e as demais arboviroses zika e chikungunya são problemas graves de saúde pública e possuem índices alarmantes em todo país.

Ao integrar as pastas Saúde e Educação, o projeto amplia sua atuação de modo grandioso, pois os Agentes Mirins Mosquito Zero, capacitados nas escolas da cidade, vão ser sujeitos transformadores das comunidades escolares, sendo responsáveis por produzir, instalar e acompanhar as armadilhas de captura de ovos e larvas do mosquito Aedes Aegypti nas localidades do entorno.

As armadilhas são confeccionadas em impressoras 3D, contam com feromônios e substâncias que atraem os mosquitos e ao capturá-los impedem a sua proliferação. Estas tecnologias inovadoras vão ser depois espalhadas por toda cidade, fazendo a cobertura total dos locais com quantidade elevada de focos.

O projeto reúne um conjunto de soluções como um robô virtual, drones, armadilhas, portal gerencial para a vigilância municipal e um aplicativo com multifunções onde a população poderá denunciar locais de foco e registrar casos suspeitos das doenças.

O MAPEAMENTO COM DRONE

O Projeto Mosquito Zero realiza um mapeamento das áreas com um drone moderno com alta tecnologia para identificação de focos onde o mosquito pode se reproduzir. A partir deste levantamento são geradas fotos georreferenciadas, onde são identificados os possíveis focos e por fim é gerado um relatório para atuação da Secretaria de Saúde. Com as informações em mãos os Agentes de Endemias serão acionados a atuar nos pontos específicos, otimizando seu trabalho e ampliando bastante os resultados.

Com esse mapeamento é possível agir, com segurança nos locais onde os focos são mais intensos. Além disso, o drone consegue mapear uma área muito grande em pouco tempo. “Em 10 horas de vôo com o equipamento conseguimos fazer o monitoramento de quase 7 mil imóveis”, exemplifica, Alexsandro Correia, CEO da startup Mosquito Zero. E isso jamais seria conseguido, se fossem utilizados só os Agentes de Endemias, pois muitos focos estão em locais inacessíveis.

“Apesar das escolas estarem fechadas, estamos trabalhando com os diretores das escolas para nos ajudarem e conscientizar cada pessoa que esteja na nossa cidade do grande problema que a dengue nos traz. A solução depende da ação conjunta de todos, poder público e população”, disse o prefeito Adriano Lima.