Rádio Web Ferraz

RÁDIO WEB FERRAZ

Últimas notícias

Juíza aceita convite de detento para assistir live sobre leitura no cárcere

 

Juíza aceita convite de detento para assistir live sobre leitura no cárcere
Foto: TJ-SC

Uma juíza de Santa Catarina aceitou um convite um tanto inusitado: assistir a uma live sobre leitura no cárcere junto com detentos. O pedido partiu de um apenado da Penitenciária Industrial de São Cristóvão do Sul/SC. Enquanto assistia a uma palestra da II Jornada de Leitura no Cárcere, ele escreveu um convite para a juíza Ana Cristina Oliveira Agustini, titular da Unidade Regional de Execução Penal, para que acompanhasse com eles presencialmente o evento.

 

De acordo com o Migalhas, ele ficou surpreso ao descobrir que a magistrada aceitou o convite para assistir ao evento nesta quinta-feira (23), com mais cinco detentos. No bilhete,  o detento escreveu: "A literatura liberta a intelectualidade e a capacidade de recomeçar. No entanto, precisa-se do apoio de autoridades competentes, por isso o presente convite”.

 

O apenado entrou no cárcere com o ensino fundamental e hoje está na faculdade. Ele tem o sonho de publicar um livro de crônicas, se formar e ajudar pessoas. "Estarei lá para assistir e ver no que mais posso ajudar", respondeu a juíza. A magistrada doou os primeiros 50 livros para o projeto que será desenvolvido ainda neste semestre com a formação de monitores de leitura, através do programa Leitura nas Entrelinhas do Cárcere, que tem com mantenedora a Biblioteca Prisional Farol do Saber.


O apenado autor do convite e os outros quatro participantes do projeto poderão ter as penas reduzidas. Eles entraram no projeto de forma voluntária pela paixão a leitura. Até o ano passado, eles não tinha o direito a remissão da pena, pois o projeto tem capacidade para atender 200 apenados e a penitenciária tem quase mil. A recente aprovação da resolução 391/21 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), a situação mudou.

 

A da Jornada de Leitura no Cárcere começou na terça-feira (21), destacando a importância dos avanços recentes na área para a estruturação de uma política de leitura intramuros com fortalecimento da cidadania, do protagonismo e da integração social, e se estende até quinta (23). O evento conta com a mobilização entre Judiciário, Executivo, escritores e escritoras, movimentos sociais e pessoas privadas de liberdade.

 

A Jornada é uma realização do CNJ e do Observatório do Livro e da Leitura, com apoio do Depen - Departamento Penitenciário Nacional, por meio do programa Fazendo Justiça, que tem ainda o Pnud - Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento como parceiro. Estão participando mais de 8,5 mil pessoas em unidades prisionais em todo o país, além de outras 800 pessoas inscritas que acompanham o evento ao vivo pelo canal do CNJ no YouTube.