Rádio Web Ferraz

RÁDIO WEB FERRAZ

Últimas notícias

Luan Santana cancelou show no interior da Bahia por causa das condições precárias

 

Luan Santana cancelou show no interior da Bahia por causa das condições precárias
Foto: Divulgação

O cancelamento do show do cantor Luan Santana ainda rende nos bastidores do município de Entre Rios, na Bahia, onde seria a apresentação (relembre aqui). Em um áudio vazado, Manoelito Argolo Júnior, prefeito da cidade, diz que o artista fez diversas exigências, entre elas, que nenhum artista se apresentasse antes dele no evento de São João. 

Manoelito Júnior afirma ter cumprido todas as exigências previamente, incluindo o pagamento antecipado do cachê, 48 horas antes do show. 


"Providenciamos os pratos do tamanho e da marca que ele queria, os talheres tinham que ser Tramontina, a água mineral específica com o nome que ele queria, cinco caixas de chiclete Trident, Gatorade do sabor que ele queria, o energético da marca que ele queria, o tipo do uísque que ele queria, o tipo da vodca que ele queria, tudo foi cumprido rigorosamente", garante Manoelito, que ainda faz ressalva para uma troca de horário entre o show de Luan Santana com o do cantor Adelmário Coelho, bastante conhecido na região.

Além disso, segundo gestor, horas antes do evento, a equipe de Luan informou que o palco estava dando choques. Uma equipe de eletricistas da prefeitura resolveu a situação após uma manutenção na área. No entanto, durante a passagem de som, o prefeiro afirma que os músicos começaram a retirar os instrumentos do palco, colocaram tudo dentro dos caminhões e foram embora sem dar explicações.


"Falta de respeito, e não é a primeira vez que isso acontece, não. Aconteceu no Festival de Verão em Salvador, tocou duas músicas e se recolheu, aconteceu em Vitória do Espirito Santo. É estrelismo demais, falta de respeito com população de Entre Rios, falta de respeito com o seus fãs, com todos os visitantes que vieram ver o show de Luan Santana", esbraveja o prefeito no áudio vazado. A prefeitura de Entre Rios também informa que vai à Justiça pedir a devolução do dinheiro pago a Luan Santana.

Em um comunicado enviado à coluna LeoDias, do Metrópoles, a equipe de Luan Santana nega as acusações de estrelismo e alega que as condições precárias e falta de equipamentos adequados foram uns dos motivos para o cancelamento do show. 


"Infelizmente, no passar do tempo, fomos verificando que alguns itens não estavam sendo atendidos...Quando chegamos ao local do evento, começamos a montagem do nosso equipamento e nossos técnicos foram conferir a estrutura oferecida”, informa a nota.


A equipe do artista listou uma série de irregularidades apresentadas na estrutura do palco:


"Identificamos os seguintes pontos:
– Não havia a mesa de som solicitada, mas ainda assim tentamos montar para realizar o show;

– Os equipamentos de luz também não atendiam integralmente nosso rider e, boa parte dos equipamentos presentes, não estavam funcionando;

– Havia apenas um kit de Backline para atender às duas bandas existentes (Luan Santana e Adelmario Coelho), no entanto o material disponível não era suficiente sequer para uma banda;

– Havia apenas um sistema de áudio, um multicabo, também insuficiente para as atrações;

– O palco não havia aterramento, o que causou choque em diversos profissionais ali presentes, inclusive um deles precisou ser socorrido e hospitalizado (funcionário da LS áudio, locadora dos equipamentos de som e luz); integrantes da banda do Adelmario Coelho e nosso blaster também tomaram choque elétrico;

– Em momento algum impomos condições de nenhuma atração se apresentar antes, tanto que o outro artista em questão já estava no palco quando foram constatados os problemas e eles optaram também por não se apresentar.

Conversamos com o prefeito e produção local, que tentaram reverter a situação para que nós apresentássemos, no entanto por segurança de toda nossa equipe e pelos problemas técnicos já relacionados, optamos por solicitar uma remarcação. Fomos impedidos de sair com nosso ônibus que teve sua passagem obstruída, só liberado após mais de duas horas", completa nota.