Rádio Web Ferraz

RÁDIO WEB FERRAZ

Últimas notícias

Meninas estão entrando na puberdade mais cedo; entenda por que

 

Meninas estão entrando na puberdade mais cedo; entenda por que
Foto: Monika Kozub/Unsplash

Se comparadas com as gerações de mulheres das últimas décadas, as meninas de hoje estão entrando na puberdade mais cedo. Caracterizada por transformações físicas e biológicas no corpo antes do tempo habitual, a puberdade precoce pode gerar efeitos negativos tanto na saúde física, quanto mental das adolescentes.

 

“Ao longo do tempo vemos estudos mostrando que essa idade está sendo cada vez mais precoce. As gerações das mães e avós tinham o início por volta dos 15 anos. Já as meninas de hoje estão apresentando esses sinais mais cedo, com 11 e 12 anos”, aponta a endocrinologista pediatra Andrea Rivelo.

 

Segundo a ginecologista obstetra Kheylla Gonzales, do Instituto de Ginecologia e Obstetrícia de Brasília, essa mudança fez com que os critérios para o limite de normalidade da puberdade se alterassem. O início puberal baixou para a faixa etária de 8 anos para as meninas.

 

A puberdade corresponde ao período de modificações fisiológicas e biológicas que marca a transição da infância para a adolescência. No caso das meninas, antes mesmo da primeira menstruação (menarca) – quando há a maturação dos órgãos reprodutores – os pelos pubianos começam a aparecer, os quadris ficam mais largos e a cintura se afina.

 

Os motivos para as diferenças do início da puberdade entre as mulheres se relacionam com aspectos físicos, psíquicos, sociais e genéticos. A especialista em saúde pública da Universidade da Carolina do Norte, Marcia Herman-Giddens, foi a primeira a observar, ainda nos anos 90, que a idade média da puberdade estava caindo nos Estados Unidos.

 

As descobertas dela estimularam outras pesquisas sobre as possíveis causas e efeitos desse fenômeno e, atualmente, está estabelecido que a idade de puberdade nas meninas diminuiu em três meses a cada década desde os anos 1970.

 

Contato com substâncias químicas, hábitos alimentares prejudiciais e sexualização precoce são as causas mais comuns para explicar o fenômeno.

 

Os chamados disruptores endócrinos (substâncias químicas presentes no ambiente que podem alterar o funcionamento do sistema hormonal) são apontados como os principais estimuladores da puberdade precoce.

 

“Eles agem no organismo da criança como se fossem estimuladores da puberdade e estão presentes no dia a dia. Plásticos, maquiagens, produtos com materiais pesados, perfumes e shampoos são alguns exemplos”, aponta a endocrinologista Andrea Rivelo.

 

A ginecologista Karla Amaral, especializada em infância, acrescenta que determinados alimentos, como frangos criados com hormônios, ou alimentação com vários produtos à base de soja também estão relacionados.