• Últimas notícias

    quarta-feira, 16 de agosto de 2017

    CNJ suspende pagamentos milionários após juiz receber R$ 503 mil


    CNJ abre investigação sobre pagamentos suspeitos a 84 juizes do Mato Grosso logo após a imprensa divulgar salário de mais de R$ 503 mil do juiz Mirko Vincenzo Giannotte, do Mato Grosso
    No mesmo dia em que a imprensa repercurtiu o caso do juiz Mirko Vincenzo Giannotte, que recebeu o salário de R$ 503,9 mil no início de agosto, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) abriu uma investigação para apurar os pagamentos de 84 juizes do Tribunal de Justiça do Mato Grosso com suspeitas de irregularidades. 
    Mirko não é o único juiz bem pago do Mato Grosso. Outros juizes do mesmo estado também obtiveram vencimentos em altas quantias no mês de julho. Apesar do teto constitucional atual ser de R$ 33,7 mil, 64 magistrados teriam recebido mais de R$ 100 mil e outros nove receberam valor superior a R$ 300 mil. 
    Com a repercussão, nesta terça-feira (15), o Conselho suspendeu imediatamente o pagamento de novos repasses aos magistrados. Segundo o corregedor nacional de justiça, o ministro João Otávio de Noronha, somente um repasse foi autorizado pelo CNJ, em janeiro deste ano, no valor de R$ 29,5 mil para uma juiza que trabalhou em uma jurisdição superior.
    Em resposta à repercussão do caso, Mirko disse que se importa com a polêmica sobre o valor recebido. "Eu não 'tô' nem aí" (Foto: Divulgação)
    Referente ao pagamento feito à Mirko, o Tribunal de Justiça do Mato Grosso disse que o repasse também estava contemplado na decisão do CNJ. Mirko defende que a quantia recebida é parte das compensações legais pelo tempo que trabalhou recebendo menos. Noronha, no entanto, afirma que o acordo não pode ser executado automaticamente para outros juizes que receberam retroativamente as indenizações e gratificações solicitadas pelos magistrados.
    Em resposta à repercussão do caso, na terça (15), Mirko disse que se importa com a polêmica sobre o valor recebido. "Eu não 'tô' nem aí. Eu estou dentro da lei e estava recebendo a menos. Eu cumpro a lei e quero que cumpram comigo",  disse o magistrado. Ele diz que ainda aguarda julgamento de pagamento de outros passivos estimados em R$ 750 mil. "E quando isso acontecer eu mesmo vou colocar no Facebook", disse. 

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Polícia

    Bahia

    Serrinha