Últimas notícias

O jornalismo independente está sob ataque.

QUERO ACESSO AO JORNALISMO INDEPENDENTE AGORA

O texto descreve a ação de Walter Delgatti Neto, o hacker conhecido como Vermelho.
Imagens da tela do computador de Vermelho às quais Crusoé teve acesso mostram mais de 150 atalhos criados para acessar contas do Telegram de seus alvos. Ali estão nomes de procuradores, delegados, juízes e políticos. Mas há também um ícone que mostra o quanto a ação criminosa do hacker, para além de alvejar as comunicações de autoridades, buscou avançar sobre a atividade de jornalistas. Um dos ícones com atalhos do Telegram em destaque na tela do computador de Vermelho é identificado como “Cruzoe” — assim mesmo, com “z” e sem acento. Sim, é o que você, caro leitor, está imaginando: revista foi alvo da ação do hacker, o que mostra que a violação também atropelou os princípios constitucionais que resguardam a atividade da imprensa. O ícone intitulado “Cruzoe” aparece logo abaixo do atalho que leva ao Telegram do ministro da Educação, Abraham Weintraub. Na mesma tela da área de trabalho do computador de Delgatti, à qual a reportagem teve acesso, aparecem atalhos dos aplicativos de outras personalidades… Na lista completa de atingidos pelas invasões, que tem mais de 900 nomes e está em poder da Polícia Federal, há mais uma série de jornalistas, de diferentes veículos de comunicação. Na semana passada, o publisher de Crusoé, Mario Sabino, revelou em sua coluna que está entre eles. Não há evidências de que Vermelho tenha conseguido acessar as mensagens dos profissionais. Também não é possível saber por qual motivo o hacker buscava obter acesso a diálogos mantidos por jornalistas. A suspeita número um é que seu objetivo era identificar fontes de informação. Um evidente atentado à liberdade de imprensa, portanto, que deve ser rechaçado com a mesma veemência daqueles que levantam a voz para defender a publicação das mensagens vazadas…
A reportagem revela também que a Polícia Federal suspeita que o ataque hacker a mensagens de autoridades e também jornalistas tenha sido bancado por interessados em minar a Lava Jato.
É isso mesmo.
Sergio Moro está sob ataque.
A Lava Jato está sob ataque.
Os avanços na luta contra a corrupção estão ameaçados.
O jornalismo independente está sob ataque.
Desde que o episódio veio à tona, jornalistas e o jornalismo independentes estão debruçados sobre o assunto.
O objetivo é entender como se deu o roubo e vazamento, quem está por trás dele, quais seus objetivos.
Esse esforço de jogar luz sobre o que foi feito nas sombras deu vários frutos — dezenas de reportagens, entrevistas e artigos que iluminam a maior disputa em curso hoje no Brasil.
A disputa do Brasil contra seu passado. Da lei contra a desobediência à lei. Do futuro contra o passado.
A imagem abaixo reúne alguns dos conteúdos especiais publicados pela Crusoé:As apurações, entrevistas e artigos exclusivos jogam luz sobre os desdobramentos e também as motivações do roubo e vazamento das mensagens atribuídas a Sergio Moro e a procuradores da Lava Jato.
São conteúdos que você não pode perder.