Últimas notícias

Portadores de doenças crônicas vão receber medicamentos em casa, diz Sesab


Cerca de 5 mil portadores de doenças crônicas de Salvador e Região Metropolitana vão poder passar a receber em casa, pelos correios, a medicação que faz parte do Componente Especializado da Assistência Farmacêutica – CEAF, que é de uso contínuo.​ A mudança ocorre a partir desta sexta-feira (29).

A medida está regulamentada pela portaria 215 da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), publicada nesta sexta no Diário Ofical do Estado. Ela normatiza a entrega em casa de medicamentos para pacientes cadastrados no Sistema Único de Saúde – SUS portadores de transplantes, insuficiência renal crônica, asma, doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) , hipertensão pulmonar e lúpus.​

“O objetivo da medida é diminuir ao máximo possível o fluxo de pacientes crônicos em unidades de saúde de Salvador e Região Metropolitana e, assim reduzir a vulnerabilidade da exposição ao novo coronavírus”, explica Renata Mundim, diretora da Assistência Farmacêutica (Dasf).​

O projeto da Sesab é coordenado pela Superintendência de Assistência Farmacêutica e Tecnologias em Saúde (Saftec), em parceria com as unidades de saúde, e tem o apoio operacional da Superintendência de Recursos Humanos (Superh).​

Em condições normais, esses medicamentos são retirados pelos pacientes ou seus procuradores legais devidamente cadastrados, nas farmácias de quatro unidades: Hospital Ana Nery, HUPES (Hospital das Clínicas), Hospital Otávio Mangabeira e FIMAE –  Farmácia Integrada de Medicamentos da Atenção Especializada. ​

Inicialmente, o projeto vai alcançar pacientes cadastrados nas unidades farmacêuticas do Hospital Ana Nery e do FIMAE. Só na farmácia do Ana Nery tem quase 3 mil pacientes. Os correios terão um prazo de 48 horas para efetivar a entrega da medicação, que é monitorada pela Sesab desde a sua expedição. Importante ressaltar que medicamentos que precisam de refrigeração não vão poder ser entregues. ​

Interior – Os pacientes crônicos cadastrados no SUS e residentes no interior da Bahia, não vão ficar dessassitidos. O Estado conta com 28 núcleos de base em cidades estratégicas, que dão apoio em unidades com farmacêuticos preparados para esse tipo de apoio. ​

Luis Henrique Dutra, Superintendente da Assistência Farmacêutica, ressalta que os pacientes receberão medicamentos suficientes para dois meses. ​“Em virtude da Pandemia da COVID 19, foi necessário tomar diversas medidas no sentido de reduzir o risco de contágio nas nossas farmácias de dispensação. Entre as medidas adotadas, essa ação é voltada, sobretudo, aos pacientes mais vulneráveis”, enfatiza.​