Últimas notícias

Líder espiritual da Bahia é investigado após 14 mulheres denunciarem abuso


Um líder espiritual da Bahia é investigado pelo Ministério Público (MP-BA) após 14 mulheres terem o denunciado por abuso sexual e psicológico. O homem, de 63 anos, é ex-grão-mestre de uma loja maçônica na Bahia e ainda criou uma doutrina pedagógica que é estudada em retiros espirituais que ele promove toda semana.

A primeira mulher a denunciar os crimes foi uma pedagoga, que começou a encontrar amparo emocional na doutrina após engravidar, aos 16 anos. De acordo com a vítima, os crimes ocorreram entre 2002 e 2014 e todo este tempo ela seguiu as ordens dele, inclusive para escolher a profissão que atua.

“Ele se aproveitou de um momento de extrema fragilidade, eu grávida aos 16 anos. precisando de apoio. A partir daí eu perdi minha vida. (…) Eu não pude escolher profissão, ele determinou que era pedagogia. Eu fui obrigada a trabalhar na escola que ele fundou. Me afastei de minha mãe por ordem dele, tive que mudar celular, apagar e-mail e criar outro e-mail para que ninguém da minha vida tivesse contato comigo”, contou em entrevista ao Fantástico.

“Todo tempo um terrorismo psicológico, uma ameaça de retaliação espiritual. Porque ele nunca diz que ele vai fazer, ele diz que a espiritualidade vai resolver, a ‘espiritualidade vai te cobrar, porque você teve a chance de viver perto de um iluminado e não aceitou'”, completou.

De acordo com a promotora de Justiça, Gabriella Manssur, as denúncias foram feitas para a Ouvidoria das Mulheres, órgão do Conselho Nacional do Ministério Público e ao Projeto Justiceiras. A primeira denunciante só decidiu contar sobre o caso após descobrir que outras mulheres também tinham sido vítimas do líder espiritual. Ainda segundo a pedagoga, ela passou a sofrer ameaças anônimas após a denúncia.

O advogado do suspeito disse que ele nega os crimes e que nunca teve envolvimento com menores de idade ou cometeu estupro de vulneráveis.